Muitas crianças vítimas de pedofilia fazem revelações durante depoimentos livres.

O trabalho delicado de ouvir crianças vítimas de abuso é o assunto da terceira reportagem da série especial sobre pedofilia, veiculada no Jornal da Itatiaia nesta semana. Em Minas, um braço importante das polícias conta com apoio do Tribunal de Justiça (TJMG). Trata-se do Centro Integrado e Depoimento Especial que tem sala com brinquedos, corpo técnicos e atividades que deixam a criança sem pressão para revelar o que vivenciaram.

“Durante o depoimento especial são aplicadas metodologias cientificamente construídas, em que a criança é convidada a fazer um relato livre. Após o relato livre, o técnico vai até a sala de audiência, conversa com os operadores do direito, que fazem uma bateria de perguntas”, diz a psicóloga Ana Flávia Santana, do TJMG.

Ana explica que após as perguntas feitas pelos operadores do direito, um psicólogo e um assistente social avaliam se os questionamentos são pertinentes. Feito isso, o técnico volta à sala e faz as perguntas de maneira adequada, considerando cada criança. “Nós tempos um número muito elevado de revelações do ato durante o relato livre”, diz Ana. “Tudo é filmado e arquivado como prova, em segredo de Justiça”.

Fonte/matéria original: Rádio Itatiaia


Foto/matéria original : Rádio Itatiaia

Compartilhar no:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *